Começo hoje uma jornada infinita na mente humana. Estou oficial deixando de participar das discussões com uma certa pessoa (a quem chamarei carinhosamente de Lucíola), para simplesmente observá-la e estudá-la dentro da sociedade que a circunda.

Farei do meu blog pessoal de um relatório e sempre que esse senhor nomeie o post é sinal de que descobri alguma coisa interessante. E vamos ao primeiro fato:

Descobri da maneira mais inusitada um trauma que foi transmitido por 3 gerações. A presença de casa de tolerância na família perturbou inicialmente a avó desta pessoa que estudo, 2 irmãs carregaram a tal fama. A vergonha das filhas foi transmitida à outra filha, que por sua vez foi transmitida à geração seguinte (pessoa em estudo).

A família dessa pessoa, se dedica então a ter comportamentos dignos de não carregar o nome dos parentes indignos. Aquela idéia que eu já tinha que quando a pessoa mais próxima à mim tem um determinado comportamento, eu tenho a tendência de fazer o contrário. Creio que por acreditar que alguns efeitos do comportamento dessa pessoa não corresponde com meu desejo de vida feliz, daí passo a agir de maneira inversa.

Enfim, beatismo foi passado em 3 gerações, chegando finalmente a Lucíola. É interessante de observar que essa pessoa tem a consciência do sexo de maneira nojenta, como se fosse errado o prazer pessoal. A idéia de sexo lhe foi implantada como pecado horrendo!

Muito interessante perceber isso hoje. Daqui a um tempo pesquisarei mais sobre os estudos de Freud, quem sabe ele não explica melhor um monte de coisas sobre Lucíola? Ou, não!

~~

Anúncios