Sempre que fizer algo visualize o que você realmente quer com aquilo. Nunca, eu repito, nunca faça algo por comodismo ou por falta de opção, se a sua ação é motivada pelas razões acima citadas não prossiga. Futuramente seu comodismo vai acabar e outras opções aparecerão, apenas tenha um pouco de paciência que tudo se consertará sozinho.

Sempre que possível faça algo difícil de fazer. Não tente salvar o mundo, ou mudar a humanidade. Apenas algo mais complicado que o normal, se esforce e conclua, na melhor maneira que você puder fazê-lo. Na pior das hipóteses, você vai tentar fazer algo, vai chegar até um certo ponto e não concluirá com perfeição, mas ao menos você poderá dizer que tentou. Na próxima missão complicada você vai ter conhecimento de seus limites, e escolherá algo dentro das suas possibilidades. E jamais esqueça de tentar ultrapassar os seus limites sempre! Eles são maleáveis de acordo com o seu crescimento e a sua capacidade.

Sempre experimente tudo o que você puder. Seja algum esporte diferente, um novo corte de cabelo, uma comida desconhecida, ou um novo jeito de agir para com o mundo. A mudança não é prejudicial ao nosso ser, justamente o contrario! Ela nos faz crescer e amadurecer a nossa visão do mundo e de nós mesmos. Caso a nova experiência desagrade, você ao menos vai poder dizer que a usufruiu, e vai aprender a dar valor ao que tinha antes do ato, ou seja, na pior das hipóteses você vai ficar menos ruim do que antes. Que maravilha, hein?

Sempre que desejar fale o que sente. Isso não quer dizer seja desagradável quando estiver com raiva, diga o que sente, mas sem prejudicar o sentimento do outro. O objetivo não é piorar nada, é apenas dar um informativo ao externo de como anda o seu interno. Então, quando o fizer, controle os seus hormônios, mantenha a calma e revise o texto antes de falar, você não quer aumentar os prejuízos, estou certo? No caso de seus sentimentos serem positivos, pode exagerar à vontade, pois não surgirá prejuízos à humanidade em geral. Apenas no caso de ser algo muito sério (por ex. EU TE AMO) é que deve-se precaver da veracidade do sentimento, não iludindo ninguém do que está acontecendo em seu interior. Lembrando, isso é apenas um informativo do que está acontecendo, e não um informativo do que você acha que está acontecendo.

Sempre que possível escreva. A palavra escrita tem um forte poder sobre as pessoas, tanto quanto a palavra, mas com uma vantagem, ela pode ser consultada e revista diversas vezes, sem cessar. A palavra escrita traz o tom calmo e tranqüilo que devemos trazer na falada. Não trato aqui de conversas escritas, como por ex. via MSN, pois ela ridiculariza a construção textual que é possível ser feita em um texto com início meio e fim. Um texto completo nos traz uma problema, um desenrolar e uma conclusão, que poderá também trazer uma conclusão final para tudo construído no texto. Além de ser uma ótima maneira de desabafo que ninguém, jamais, precisará visualizar. Coisas que adolescentes de 13 anos, comumente ridicularizadas no mundo adulto com sua futilidades de diários, conhecem bem na escrita de sentimentos bons, ruins e coisas inúteis existentes dentro da cabeça de um ser. Faça essa experiência, e veja quão diferença você terá da analise de si mesmo depois de ver escrito sentimentos até então escondidos dentro de sua própria cabeça.

O que me resta nesse texto sem sentido é concluir que a vida tem milhões de desafios pela frente, e que tudo poderá ser feito a partir do momento que se encara ela com otimismo, calma e segurança. Encare a vida. Essa é a melhor maneira de seguir em frente, ou de continuar o que começou, ou de voltar ao ponto de partida, ou de começar de novo, ou de concluir algo, ou de simplesmente viver!

 

Natal, 16 de novembro de 2009.

Anúncios