my20bluberry20nightsAcabo de assistir um dos filmes românticos de que eu mais gostei em tda a minha vida. É incrível como filmes desse gênero me faz mudar totalmetne a perspectiva sobre alguma coisa que eu percebo do mundo.

Me recordando de vários acontecimentos da minha vida, percebo que em muitos momento as pessoas simplesmente afastam aquilo que mais desejam e presam, por nenhuma razão aparente, normalmente as coisa não tem uma razão de ser.

O amor está ali, mas ele é impossível de ser vivido por aquela pessoa, às vezes por acreditar que não merece, por não saber por onde começar, ou por simplesmetne não ter se decidido de algumas coisas durante a própria, de repente a gente abandona um sentimento por acreditar que ele de alguma maneira atrapalha algo em nossas vidas. Normalmente fazemos as coisas sem nenhuma razão, simplesmente não há o que interpretar, simplesmente as coisas são como são e pronto!

A gente sempre ama tudo, raramente as pessoas não se amam. Apenas não identificam tal amor, ou não sabem como demonstrar. É difícil de compreender como se pode amar alguém com quem esteve realmente apenas duas noites, ou  dois meses, ou vários anos. É difícil admitir que se ama alguém. Fazê-lo é declarar que fará exatamento tudo por aquele ser, é declarar que aquela pessoa faz toda a diferença para você, e admitir que tudo o que vem dela te importa, mesmo que não seja exatamente o que você desejaria que viesse. Você simplesmente absorve, e toma aquela energia para si. De maneira tal, que mudará todo o seu comportamento para todo o resto de sua vida. Nunca saberei quanto ao certo alguém (pode até ser você) fez diferença em minha vida, ou se ainda fará.

O fato é que um pedaço de cada pessoa que eu amei de alguma maneira, seja fraternalmente, amigávelmente, romanticamente, ou carnalmente, cada um tem um pedacinho dentro de mim. Partícula que eu vislumbro em algum momento de algum dia inspirador, entorpecida por uma bebida transparente, ou mergulhada numa fumaça densa de boate, de incenso, de cigarro. Vislumbro cada participação especial e sorriu com as boas coisas, velhas ou não.

Enxerguei no filme vários amantes que fugiram de seus amados, sejam ex´s, sejam parentes que não compreendemos, seja alguém que desejamos amar. Em algum momento de nossas vidas temo que nos despedir de quem amamos por escolha própria. Aparentemente a razão daquilo é a mais estúpida, mas nem sempre há razão. Quase nunca há razão!

Mas quando existem, elas nos fazem seguir o caminho que escolhemos com mais firmesa. Até o momento em que não poderemos mais voltar atrás, e nunca mais poderemos mudar de idéia pelo que fizemos. Acho que todos nós temos esse momento em nossas vidas. Eu tenho todos os dias…

Nesse momento não posso voltar atrás a minha decisão de comer um pacote de biscoito ou jantar comida de verdade, pois meu pacote de biscoito já acabou. Assim como esse texto…

Anúncios