velas

Minha amiga precisou de mim e eu a socorri! Não interessa a razão ou o motivo…

Rezei um terça e acendi três velas: uma amarela, uma roxa e uma vermelha, sendo que a última era menor que as outras.

A vela AMARELA simbolizava a felicidade e alegria que eu queria que ela tivesse num dia tão turbulento quanto hoje. Que indepedente do que ocorresse que ela fosse feliz, do modo como estou acostumada a vê-la. Me disseram certa vez que quando acendesse uma vela e ela chora eh porque o desejo que se tem com ela não vai acontecer. Esta vela teve um fogo brando e um pouco fraco, ela chorou durante toda a sua queima, pouco porém constante, como se a felicidade diária de cada fosse colhida com um pouco de dor e sofrimento. Como se a felicidade nunca fosse plena, mas sempre presente e constante, como o fogo que não se apaga, mas não se incendeia com a queima de si mesmo.

A felicidade é algo belo e sublime, que se aproveita e sente todos os dias, a todos os momentos, sem a necessidade de auvoroço ou de balburdia. Ela esta ali, firme e constante como uma melodia que toca suavemente ao nossos ouvidos. Mas ela dura, pois a vela por chorar devagar e constante pode queimar a maior parte de sua cera, sendo então a vela que mais durou das três.

A vela ROXA simboliza a sabedoria e também a dor, pedi a Deus com esta vela que iluminasse minha amiga, para que ela percebesse exatamente o que está acontecendo, e que não se enganasse ou se iludisse, que visse as coisas exatamente como elas são e pronto! Mesmo que isso causasse grande dor a minha amiga…

O comportamente desta vela me foi inusitado, eu a acendi e ela me pareceu firme e feita para queimar incessante, diferente da amarela que chorou assim que terminei de rezar o terço. Ela queimou em princípio firme como se ela tivesse plena convicção de queimar por inteira. Porém, momentos depois de acender ela estava mergulhada em prantos, envolta de cera derretida que chorou forte e rapidamente, como se a dor fosse tanta que não suportou o baque do momento e desabou em si mesma. Infelizmente a sabedoria eh um pouco assim, quando a gente tem convicção do que sabe,  mas alguém nos contraria com argumentos incontestáveis nos sentimos perdidos, e tudo o que tínhamos conhecimento parece fraco e sem sentido. Daí vem a dor e os prantos fortes, rios de lágrimas que nos envolve e se solidifica ao nosso redor. Infelizmente o conhecimento e a sabedoria nos causam dor, e eles nos trazem certezas e incertezas todos os dias… É assim que as coisas são.

Felizmente essa vela durou menos que a amarela, porém durou mais que a vermelha, por isso não a desprezo.

A vela VERMELHA simboliza a paixão, a força, a energia, o amor… Essa vela era menor que as outras propositalmente. Orei pela felicidade, pela ciência que minha amiga deveria ter nesse momento de sua vida e orei pelo amor, mas com menos devoção que nas duas primeiras, pois esse amor que ela enfrenta a machuca, apesar de faze-la muito feliz!

Essa vela queimou com fogo alto e constante, queimou sem lágrimas, sem exitar. O amor por vezes é cruel, mas ele eh firme e constante como a vida em si.

Depois de ver essa vela foi que eu entendi o porque da minha amiga lutar por alguém que a menosprezou, lutar por algo que a machucou muito… Essa vela queimou até o fim e firme, apesar de sua aparente pequenez. É verdade que ela acabou antes das outras, mas eh verdade que ela esteve acessa e que esteve quente!

Devo no fim das contas acreditar no AMOR, acreditar no milagre da vida!